Fragmentos Betty Martins
.
.
.
._________o escritor original não é aquele que não imita ninguém_________mas sim aquele que ninguém pode imitar__________/// [Chateaubriand]
._______aos tão solitários loucos
.d´almas puras.nuas.
das vestes negras procurando_____o___________.cavalgar________.as enormes.gargalhadas
.
.
.
.Betty Martins________ como. sou cúmplice da loucura .dispo-tE________com o meu sorriso _____________ o meu livro_______________
.dans la tranquillité de mon esprit dans les couleurs dans la douleur et dans l'amour je vais en donner nom à chaque je fragment expectant portrait de moi__________/// ___________________ ______///____________ ______________///________
.de pé sobre o abismo e não morri.canto gregoriano muito limpo não me chegou________________ o fim _____________________catedral sobre o risco.sobre um azul tão grande que afundar-me podia ._____ao fundo do mais fundo mergulhei e não morri_________...________ .amei________[Ana Luísa Amaral]
__________///____________
.é tão "natural" destruir o que não se pode possuir - negar o que não se compreende - insultar o que se inveja_________________ [Honoré de Balzac]
______________________.


faço um caminho de páginas em branco
que me dizem no meu país.o que me deixam ver
corre o silêncio.a vida sentada num banco
murchas.as flores ________deixam o sorriso morrer

.
fustigadas páginas.viradas por força do vento
mentiras.escondendo a verdade.numa névoa rara
que governo inóspito.que nos vai comendo até o tempo
socrático vampiro.dentes afiados.no lombo das vacas se amarra

.
na minha terra.no meus país.as estrelas choram de frio
o pão nosso.já não é nosso.é deles.são uma praga
ervas daninhas.apontadas aos céus.em vez de espigas de trigo
cravos e rosas caídos.aos pés de uma triste madrugada

.
têm olhos de sal.não foi o mar que se revelou
dançam e nadam as galinhas.de penas fartas
disfarçados cacarejam os burros.até a serpente uivou
eufuísmo de mofo cheiro.no aforismo tocando a ameaças
.



ah!_________de noite se fez dia
os pássaros já não cantam______miam
do telhado não saltou o gato.mas sim a poesia
mornas palavras velhacos trovadores.no apelo ao voto até se benziam

.
o sol há muito que aqui ficou prisioneiro
dalguns.que disseram ser seus compradores
o desgoverno rouba o nosso dinheiro
fogem-nos os sonhos.mortos por esses senhores

.
de páginas em branco.branca fiquei
de ovo na mão.qual segredo a desvendar
concêntricos circuitos. meu país de promessas desenhei
senda às avessas______________sempre a girar


© Betty Branco Martins






.todos os textos estão protegidos pela SPA
.imagens e textos com Direitos Autorais de Betty Branco Martins





16 Comments:

Blogger Caterina said...

Ciao cara mia, i tuoi pensieri sono molto profondi e tristi. Sei un'artista meravigliosa e sensibilissima. Vorrei vederti piena di allegria, ma la vita non é sempre cosí. I tuoi colori scuri nelle immagini e nelle poesie mi fanno pensare che hai dei dolori di varia natura. Vorrei darti nelle mani delle rose piene di gioia.
Ti invio un bacione e serenitá. Dai cara, arriverá la nuova primavera dolce

 
Blogger SAM said...

Amiga,

um brilhante poema para uma situação lastimável.

Carinhoso beijo e lindo fim de semana, Betty.

 
Blogger Pimpinela Chinela said...

Olá Betty
!magens tão belas… de mãos tão tuas
Alvas pétalas escorridas de uma lua nova que brilhou na noite de gelo…
T
o
c
a
as flores rubras – sempre-vivas no sorriso da cor dos sentidos…
Faço pompons e junto bombons em segredo por causa dos gulosos…

Gostas do meu vestido de pompons?

Pimpi beijinhos

 
Blogger manuela baptista said...

sento-me num banco

reconhecerei algum dia o meu, este país?

esborracho o ovo
não tem pinto
não tem gema
não tem ovo

grito numa página em branco

e escrevo à Betty, Branco do meu país

"arrepio, é o que sinto, mas vou girar!"

eu, manuela

um beijo para si, Betty!

 
Blogger Marta said...

Num grito mudo....em suspiros secos....
Lindo como sempre...
Adorei as pinturas....
Beijos e abraços
Marta

 
Blogger Alis said...

Olá Betty


"Ervas daninhas" que minam o solo e ar…
subjugadas filosofias de cordel…
...
Venenos raros, pós brancos que desbotam os dias…

… só pão duro e ®estos de ração duma possível fábrica de farinhas que o des governo ainda se lembra de criar para empregar os tios e os primos e saciar a gula aos ratos do poder….


... Já nada importa se a luta deu lugar á acomodação…
Somos navegantes de sofá…
Marinheiros com barquitos de papel em baneira tépida…


!menso beijinho

 
Anonymous Anonymous said...

Imagens fortes de uma voz que fustiga os tempos negros do nosso país; um grito orgânico saindo do ventre, não dos lábios. Bravo! Abraço.

 
Blogger . intemporal . said...

.

.

.

.

um dia ainda hei.de ver o meu país ser grande
ser uma fenda do mundo que do fundo se estende
ser a raiz da língua mátria que em toda a terra se compreende
ser a flor de lis e ser a pátria que ao ser a chama se acende
ser de cariz semiótico um vocábulo ávido que se entende
ser a tatuagem na pele que o corpo à alma prende

.

.

.

.

. o teu beijo T E R N O de hoje, o de sempre, o de todos os dias .

.

. [espero.TE a.manhã no aniversário do #intemporal#] .

.

. :) . um bom.domingo .

.

. paulo .

.

 
Blogger Poemas e Cotidiano said...

Minha querida amiga:
Vir ao seu blog eh uma visita nao so a sua maravilhosa escrita, mas a sua arte!
Tudo tao lindo, tao forte, tao "chamante", tao maravilhosamente colocado!
Parabens pelo seu talento! Pela sua espiritualidade. Pela sua forca interior. E tudo isso com tremenda feminilidade.

Beijos carinhosos
Mary

 
Blogger © Piedade Araújo Sol said...

um poema que traduz muito da situação do nosso país.

gostei muito desta tua tela, talvez pelos azuis...

um beij

 
Blogger São said...

Do telhado saltou a poesia e agarrando-a no ar fizeste este lindo poema que aqui nos ofereces.

Bem hajas!

 
Blogger BRANCAMAR said...

Belíssima forma de dizer o estado do país.
Mãos que se estendem para rosas que não se transformem em pão, já não há milagres...embora um milagre fosse necessário...

Beijinhos
Branca

 
Blogger Nilson Barcelli said...

Notável apontamento político, através de excelente poesia.
Não fazes por menos, como sempre. Parabéns, querida amiga.
Beijos.

 
Anonymous Anonymous said...

(Repito esta mensagem,pois, não sei como, o comentário ficou anónimo. as minhas desculpas.)Imagens fortes de uma voz que fustiga os tempos negros do nosso país; um grito orgânico saindo do ventre, não dos lábios. Bravo! Abraço.

 
Blogger . intemporal . said...

.

.

. a.penas e só .

.

. as portas da plenitude sem portas .

.

.

.

. usufruem da Luz procedente do Céu .

.

.

. o teu beijo T E R N O de hoje .

.

. o de sempre . o de todos os dias .

.

. paulo .

.

 
Blogger Daniel Aladiah said...

Querida Betty
Este país que tão pouco é nosso, mais sonho da alma de sempre, do que realização dum povo que nunca cá coube...
Um beijo
Daniel

 

Post a Comment

Subscribe to Post Comments [Atom]

<< Home