Fragmentos Betty Martins
.
.
.
._________o escritor original não é aquele que não imita ninguém_________mas sim aquele que ninguém pode imitar__________/// [Chateaubriand]
._______aos tão solitários loucos
.d´almas puras.nuas.
das vestes negras procurando_____o___________.cavalgar________.as enormes.gargalhadas
.
.
.
.Betty Martins________ como. sou cúmplice da loucura .dispo-tE________com o meu sorriso _____________ o meu livro_______________
.dans la tranquillité de mon esprit dans les couleurs dans la douleur et dans l'amour je vais en donner nom à chaque je fragment expectant portrait de moi__________/// ___________________ ______///____________ ______________///________
.de pé sobre o abismo e não morri.canto gregoriano muito limpo não me chegou________________ o fim _____________________catedral sobre o risco.sobre um azul tão grande que afundar-me podia ._____ao fundo do mais fundo mergulhei e não morri_________...________ .amei________[Ana Luísa Amaral]
__________///____________
.é tão "natural" destruir o que não se pode possuir - negar o que não se compreende - insultar o que se inveja_________________ [Honoré de Balzac]
______________________.


vestida de medos .. 
a noite oferece-me os gritos do silêncio 
 ______________não importa a tristeza que me possas trazer 
 eu risco – eu traço as tuas formas 
 lanças os teus braços longos e frios 
num acto sem conteudo 
 perdi os meus olhos no mar… só porque - eu te queria ver 

 corro sobre as ruínas dos teus cabelos 
 onde nascem árvores estaladiças de tão secas 

não existem portas em ti 
 como .. tudo está cerrado num perfeito cubo de pedra 
nada faz eco – porque nada entra 
 são “olhos” os meus dedos - procuram sentir a palidez da tua alma 
é tão profundo e solitário o lugar onde o teu corpo habita 
 a luz fere a escuridão do teu manto 
e a minha voz rasga a tua pele 
 ouves o coração da terra __________e julgas ser o teu 
 tudo está mais perto de mim até a lua

os caminhos corrrem nos teus pés parados 

e o céu coalhou a meus pés … 


 © Betty Branco Martins 

 .todos os textos e imagens estão protegidos pela SPA

Artist : Betty Martins
música desde novembro de 2004
PageRank
Retorno incorpóreo

Aos poucos tudo voltou a fazer sentido. Renascido das trevas, a luz impôs a presença e patenteia o caminho que perpetua o existir. Ele está aqui agora com mais pedras, que guardarei todas para construir um castelo rememorando o poeta. Aos poucos o dia alcançou a força exposta em resumo para não mais terminar. O tempo transporta horas apressadas ao ritmo de outrora e revela a vida no despertar quotidiano, inevitável, imperativo. Aos poucos o futuro é novamente abstracto, sem horizonte. Imprescindível na mente onde o que foi ausente agora é defronte, permanente e presente. Aos poucos o sorriso sustenta o sonho que conduz a essência ao peito. Confesso-me grato ao efémero que oculto cegou o resguardo e o respeito por mim que agora recupero aos poucos à integridade, socorro o corpo sem corpo, incorpóreo e a alma pode finalmente voar.

.____________________________///
Dedico a TI, Betty, estes rabiscos que me recolocaram na rota, num determinado momento da minha vida. Contigo, sustento as asas de um sonho, no mais alto voo a ser íris em arco aos olhos de Deus.

._________Paulo meu querido. beijO__ternO Intemporal

.posso ter defeitos
viver ansioso e ficar irritado algumas vezes___________mas não esqueço de que a minha vida é a maior empresa do mundo.e que posso evitar que ela vá à falência
.ser feliz
é reconhecer que vale a pena viver
apesar de todos os desafios - incompreensões e períodos de crise
.ser feliz
é deixar de ser vítima dos problemas e se tornar um autor da própria história.é atravessar desertos fora de si.mas ser capaz de encontrar um oásis no recôndito da sua alma
____________é agradecer a Deus
a cada manhã pelo milagre da vida
.ser feliz
é não ter medo dos próprios sentimentos.é saber falar de si mesmo.é ter coragem para ouvir um “não” é ter segurança para receber uma crítica.mesmo que injusta
.pedras no caminho?
.guardo-as todas
.um dia vou construir um castelo_________...
[Fernando Pessoa]